img topo
O Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Odontologia instituídos pela Lei nº 4.324, de 14 de abril de 1964, constituem em seu conjunto uma autarquia federal, sendo cada um deles dotado de personalidade jurídica de direito público, com autonomia administrativa e financeira.
Ressalta-se que o CROGO é uma entidade prestadora de serviço público (autarquia federal), criado por lei federal (Lei nº 4.324, de 14 de abril de 1964), para fiscalizar as profissões odontológicas regulamentadas (CD, TPD, TSB, ASB e APD), em defesa da sociedade.

Em consequência disso, possui delegação de competência do Estado para:

•    Habilitar legalmente os profissionais, por meio da concessão do registro/inscrição profissional;
•    Fiscalizar o exercício da Odontologia;
•    Cobrar anuidades;
•    Aplicar e cobrar multas;
•    Executar débitos;
•    Aplicar o Código de Ética Odontológica (CEO).
Vale enfatizar que a fiscalização do exercício profissional, pelo CROGO, não abrange diretamente todos os aspectos do exercício da Odontologia, mas tão somente aqueles revestidos de conteúdo ético.
O CROGO, no exercício do poder de polícia, deve zelar tão somente pela preservação de dois aspectos essenciais: a ética e a habilitação técnica adequada para o exercício profissional.
O CROGO instaura e julga, por meio de suas comissões de ética e de seu plenário, os processos éticos contra profissionais e estabelecimentos que infringem as normas éticas, tendo o poder de puni-los, inclusive com a cassação do registro profissional ad referendum do Conselho Federal.
     
Para ser cirurgião-dentista, o interessado precisa ter curso universitário de Odontologia e estar devidamente inscrito no CRO do estado onde trabalha. O diploma só tem validade se for registrado no Ministério da Educação. Da mesma forma, são exigidos para o exercício das profissões auxiliares odontológicas capacitação técnica específica e inscrição no Conselho Regional onde exerça a atividade.
Neste site, o CROGO coloca à disposição da comunidade e de todos os profissionais da Odontologia informações sobre ética odontológica e exercício profissional em Goiás e no Brasil.
Seja bem vindo!
•    História
A criação do Conselho Federal de Odontologia e dos Conselhos Regionais de Odontologia foi fruto de um processo histórico que começou no Brasil colonial, com os barbeiros ou sangradores; passou pela fundação dos primeiros cursos de Odontologia, em 1884; e culminou com a promulgação da Lei 4.324, de 14 de abril de 1964.
Cerca de dois anos depois, veio a regulamentação da profissão de cirurgião-dentista, por meio da Lei 5.081, de 24 de agosto de 1966. Paralelamente, os Conselhos Regionais foram se estruturando.
•    A instalação do CROGO
Em nosso estado, a mobilização ocorreu a partir da 2ª Semana Odontológica Goiana, realizada em setembro de 1965. O evento foi organizado pelo cirurgião-dentista João Baptista Gonçalves, com o apoio da Associação Brasileira de Odontologia – Seção Goiás (ABO-GO).
À época, uma comissão foi montada para arrecadar recursos para a sede própria da associação, mas os membros renunciaram. João Baptista foi convidado a substituir o presidente da comissão e pediu prazo de três dias.
Nesse ínterim, com a ajuda dos também cirurgiões-dentistas Gerson Guimarães, Maria Célia Pereira dos Santos e Maria Zélia Albuquerque Aguiar, conseguiu a adesão de 65 novos sócios, viabilizando o recurso necessário para a compra. Assim, aceitou a presidência da comissão.
Aproveitando o clima favorável criado pela articulação em favor da compra da sede, João Baptista Gonçalves lançou a ideia da criação do Conselho. O presidente da ABO-GO, José Martins Jácome, encampou a proposta e convocou uma assembleia para deliberar sobre o assunto.
A assembleia ocorreu três meses depois, em 1966. Quatrocentos cirurgiões-dentistas foram convocados. Todos foram, ao mesmo tempo, eleitores e candidatos, pois seus nomes constavam na célula única de votação. Os que receberam maior número de votos, pela ordem, foram escolhidos para a Diretoria, formada por cinco membros efetivos e cinco suplentes. Aos eleitos, foram reservados os dez primeiros números de registro.
•    A primeira diretoria
Por ter sido o mais votado, João Baptista Gonçalves conquistou o cargo de presidente e o registro profissional de número 01. Os demais eleitos foram, pela ordem, Edson Almeida e Silva (secretário-geral), Maria Célia Pereira dos Santos (tesoureira), Gerson Guimarães e William Sebastião Taveira. Na suplência, ficaram Alvino Ramos, Antônio Passos Barbosa, Alpheu da Veiga Jardim, Célio Bizzotto e Erly Procópio.
A posse da diretoria eleita foi no Salão Verde do Umuarama Hotel, em 29 de setembro de 1967. Ainda sem sede, o Conselho se instalou numa sala alugada do Edifício São José, na Avenida Anhanguera, no Centro. Por ter sido o fiador do aluguel, Itamar da Silva Belo recebeu o registro profissional de número 11.
•    Nossas atribuições (art. 11, Lei n… 4.324/64) :
•    deliberar sobre inscrição e cancelamento, em seus quadros de profissionais registrados na forma desta lei;
•    fiscalizar o exercício da profissão, em harmonia com os órgãos sanitários competentes;
•    deliberar sobre assuntos atinentes à ética profissional, impondo a seus infratores as devidas penalidades;
•    organizar o seu regimento interno, submetendo-o à aprovação do Conselho Federal;
•    sugerir ao Conselho Federal as medidas necessárias à regularidade dos serviços e à fiscalização do exercício profissional;
•    dirimir dúvidas relativas à competência e ao âmbito das atividades profissionais, com recurso suspensivo para o Conselho Federal;
•    expedir carteiras profissionais;
•    promover, por todos os meios ao seu alcance, o perfeito desempenho técnico e moral de odontologia, da profissão e dos que a exerçam;
•    publicar relatórios anuais de seus trabalhos e a relação dos profissionais registrados;
•    exercer os atos de jurisdição que por lei lhes sejam cometidos;
•    designar um representante em cada município de sua jurisdição;
•    submeter à aprovação do Conselho Federal o orçamento e as contas anuais.
 •    Presidência e Mesa Diretora:
  1. PRESIDENTE
    Dr. Renerson - Presidente 306 x 305
    RENERSON GOMES DOS SANTOS - CRO-GO 11.337
  2. SECRETÁRIO
    Dr. Saulo - secretário 2 306 x 305
    SAULO DE TARSO BOAVENTURA BORGES - CRO-GO 7.435
  3. TESOUREIRO
    Dr. André Esperidião - Tesoureiro 4 306 x 305
    ANDRÉ PASSAGLIA ESPERIDIÃO - CRO-GO 7.932
  4. COMISSÃO DE ÉTICA
    Dr. André Luiz - Comissão Ética 4 306 x 305
    ANDRÉ LUIZ BOAVENTURA BORGES - CRO-GO 5.701
  5. TOMADA DE CONTAS
    Dr. Júlio César - Tomada de Contas 6 306 x 305
    JÚLIO CÉSAR GOMES BEZERRA - CRO-GO 7.142
•     Membros Suplentes:
JÚLIA ARANTES ARAÚJO - CRO-GO 11.815
ROGÉRIO ALVES DIAS - CRO-GO 6.124 
GUILHERME LOPES ANGELINO - CRO-GO 9.203
MÔNICA ASSUNTA DE CAMARGO SANTOS - CRO-GO 4.248
NILO ADELMANDO PEREIRA JÚNIOR - CRO-GO 3.212